10.17.2010

O Juiz Decide



E eis que a saga finalmente chegou ao fim (ver na barra aqui do lado esquerdo). Muito embora o caso do stand se tenha resolvido com alguma facilidade, o mesmo já não se pode dizer do caso da senhoria, que não me quis devolver o depósito, alegando as razões mais estapafurdias e decidindo ignorar-me quando estas não pegaram. Se julgava que esta era a solução, enganou-se redondamente.

Após ter sido emitido um mandato de prisão contra a senhoria, fiquei 'a espera que o xerife me telefonasse, para avisar quando tal ia acontecer. A coisa parecia andar enguiçada: primeiro ligaram-me a dizer que iam fazer a apreensão durante a semana em que estive em El Salvador, por isso, teve que ser adiada. Depois ligaram-me, marcaram o dia, mas passados uns dias desmarcaram. Voltaram a ligar na semana seguinte, marcaram novo dia, mas na hora H o xerife teve um problema de barriga e a coisa foi de novo adiada. Até que me telefonaram a semana passada a dizer que tentariam a apreensão no dia 14 (5a feira passada).

Enretanto, também na semana passada, a minha ex-senhoria lembrou-se que tinha que me mandar com a máxima urgência uma série de 3 cartas, todas elas convenientemente datadas de acordo com os contacto que eu fiz e que ela ignorou e claramente redigidas de acordo com instruções de um advogado. A mim só me deu vontade de rir quando vi o envelope da FedEx, ultra urgente e sei lá mais o quê, quando durante 7 meses não quis saber de me responder. Deu-lhe a pressa agora que viu que podia ser presa.

Quanto ao conteúdo das cartas, indescritível. Desde calúnias a insultos, a tentativas de me intimidar com advogado, serviços de imigração (para ela todos os emigrantes são ilegais, está visto... ah, e ignorantes quanto 'as regras cívicas dos EUA) e mandado de restrição, aquilo deu para tudo. Se ela asneasse muito no tribunal, juro que ainda lhe punha um processo em cima por difamação mas, sinceramente, desde que a dívida fosse paga, só queria é que ela fosse com a nossa senhora e não me chateasse mais. Ah, e mandava também um cheque, por metade do valor que ela me devia e que, obviamente, não aceitei.

Quando recebi as cartas, liguei para o xerife a contar o sucedido. Instruiu-me para que não a contactasse nem respondesse a qualquer tentativa de contacto, pois já há muito que tinha passado a oportunidade de ela decidir o que queria pagar. Nas palavras dele "She is playing games with you and with us. Leave is to us". Assim, na 5a feira passada, após terem ido até 'a casa dela 'as 6 da manhã, ligaram-me 'as 7:45 a dizer que ainda estavam 'a espera que ela saísse, para a prenderem. Por volta das 9:00 ligaram-me a dizer que, após muita resistência, estavam a caminho do tribunal com ela e pediram que me dirigisse para lá também.

Yuuhhuuu, finalmente!! exclamei.

Quando entrei na sala do tribunal, vi de imediato aquela balofa de mais de 100kg sentada na zona do réu, algemada. "Que vergonha!!", pensei "será que vale a pena passar por isto só para não pagar o que me é devido?! Agora, não só passou pelo vexame de ter a polícia 'a porta de casa a prendê-la como tem que estar, em público, algemada. Em frente a toda a gente. E ainda por cima, pagar mais do que a dívida inicial. Que vergonha!!"

Numa das cartas ela dizia que eu, por ser de outro país, não compreendia como as coisas se passam nos EUA mas, ao ver este espectáculo, está mais que provado que ela é que não se sabe reger pelas regras vigentes.

Uma vez as duas presentes, fomos para uma outra sala de tribunal, onde as pessoas, com advogados ou não, expoem o caso ao juíz, tipo o famoso programa "O juíz decide". Antes de irmos para lá, o xerife perguntou-me se eu queria falar com a ex-senhoria ou se preferia falar com o juíz. Respondi de imediato que queria falar com o juíz, uma vez que o caso já estava decidido de antemão, a razão estava do meu lado e, por isso, não me queria estar a chatear. Ele acedeu e disse-me que ela também não queria falar comigo. Ainda bem :P

Quando ficámos em frente 'a juíza, a palerma da ex-senhoria ainda referiu que me tinha enviado documentos a semana passada e que os tinha enviado também para o tribunal, como se aquilo servisse para alguma coisa. O tribunal não recebeu nada e eu prontifiquei-me a formecê-los 'a juíza, já antecipando que, se calhar, ainda ia ter que puxar das provas todas que tinha comigo e sujeitar a ex-senhoria a mais uma vergonha pública, uma vez que a cada linha da carta havia uma mentira facilmente contrariada. Contudo, a juíza foi suficientemente inteligente para ver de imediato que aquelas cartas eram uma treta e só disse: A Sra. Baptista (eu) tem um julgamento válido a seu favor pelo que estas cartas não servem de nada, por isso... azareco! (ela não disse azareco, mas a expressão facial dela basicamente dizia isso). Tem condições de pagar neste preciso momento o que deve? (leia-se que o que ela me devia no início eram $1100 e agora era já próximo dos $1600). Qual doida, com um sorriso tresloucado e uma admiração estúpida, a ex-senhoria respondeu "Of course!! I am more than willing to pay!!". Só faltava ter dito "duh" 'a juíza... coitada, uns morrem e outros ficam assim.

E pronto, passou o cheque, pagou o que devia e ainda ouviu a juíza dizer que era bom que o cheque tivesse cobertura porque se não só estava a arranjar mais problemas desnecessários.
Que vergonha!! repito.

Finalmente acabou este forrobodó e posso dizer que a justiça foi feita. Espero não ter mais histórias destas para vos contar!!

3 comments:

Prai said...

UAU! Menina, nao fazia ideia do acontecido! A senhoria nao contava com o fato de ter se metido com uma estrangeira inteligente, informada e lutadora (indo atras do que a pertence). Fico feliz com o desfecho! E tambem espero que nao tenhas que passar por algo desse tipo novamente!

Isaac said...

Que beleza..estás de parabens ; em geral , eles são muito prepotentes !!

Fadalê said...

Fatina...
Isto demonstra claramente duas coisas. A prepotência e estupidificação dessa pessoa, que com a sua má índole e quase xenófoba, é um péssimo "cartão de visita" dos americanos, e... com Tugas destas... não se brinca.... Mai'Nada :)