4.27.2008

Actividades ao Ar Livre

O calor está a chegar, a Primavera está a instalar-se e a cidade vibra com toda esta nova vida, apelando, quase que hipnoticamente, para que se saia de casa, se sinta a brisa no rosto e o sol na pele.

Este Sábado foi um desses dias e aproveitei-o ao máximo.

Logo de manhã, vai de pedalar 30 minutos até ao rio, na margem do qual se realizou uma corrida de beneficiência de 5 km. Confesso que não é de manhã que sou a melhor atleta e, portanto, a corrida foi meio lentinha mas, mesmo assim, lá fui eu até ao fim, ficando em 269º lugar, dos 500 possíveis. 29'29''... podia ser melhor mas olha, foi o que se arranjou. O rapaz que acabou em primeiro fez a coisa nuns fantásticos 16'.
O que importa mesmo é que estive com amigos, convivi, fiz desporto e diverti-me.


Eu e a Janica, amiga e uma das organizadoras do evento.

Para além disso, como rescompensa pelo esforço dos atletas, na meta esperavam-nos os sons do Choro Democrático, grupo musical formado única e exclusivamente por amigos meus/nossos. (curiosade: apenas um dos elementos é Brasileiro. A flautista é Polaca e todos os outros são Americanos. Têm, em comum, o gosto pelos Choro).

video

Acabada esta primeira etapa, pedalei para casa, encontrei o maridão e fomos almoçar, para logo depois irmos ao HomeDepot comprar material para a nova empreitada: jardinagem.

Temos, nas traseiras da nossa casa, um suposto jardim, que é mais um terreno baldio de tanto o abandono a que foi devotado. Após algumas negociações com a senhoria (que todos os anos diz que vai plantar tomates, pimentos, alfaces e sei lá que mais mas nunca faz nada) tivemos direito a fazer o que quiséssemos desta parte do terreno (já estão a adivinhar que a outra parte foi, mais uma vez, destinada 'a horta maravilha mas que, de certeza, vai ficar mais um ano aos Deus dará):


Assim, após algumas dúvidas e questões, lá decidimos que 6 sacos de solo/fertilizante e três sacos de sementes para relva seriam suficientes para a obra. Voltámos para casa e metemos mãos 'a obra. Primeiro tivemos que limpar o terreno de todas as raízes, ervas daninhas, pedras e tudo o mais que se acumulou durante estes anos de esquecimento mas, no fim, o resultado foi um terreno bem mais bonitinho, não acham?


A meio do serviço, já quando quase tudo tinha sido arrancado, a senhoria chegou a casa e passou pelo jardim para ver como estavam a desenrolar-se as coisas. A primeira coisa que disse foi "Oh my God!". Julgava que era uma exclamação de espanto e surpresa pelo belo serviço que estávamos a fazer... mas enganei-me. Era um "Oh my God" de quem diz "mas que raio fizeram vocês?"

A minha senhoria é meio esgroviada e não reparou que, contida na área que disse ser nossa para fazermos o que bem quisessemos, estava plantada uma dita planta chinesa, pelos vistos com mais de 100 anos mas que, para mim (e para qualquer pessoa com o mínimo de juízo), não era mais que uma remeniscência de uma qualquer coisa meio feiosa, seca e morta (se clicarem na primeira foto do terreno vêm a dita planta - aquele conjunto de juncos secos, meio rastejantes, no canto superior direito. Linda, não? Ainda se aquilo mudasse de figura com as estações... mas não! Ficava assim o ano todo). Aquilo estava tão mas tão enraizado que enquanto lutávamos para a arrancar do solo até comentámos que aquilo mais parecia uma alien ou uma coisa qualquer mutante. Ora, nem de propóstio, parece que o bicho era uma coisa rara.
Olha, se era rara, ainda mais rara passou a ser. Azareco!

Como boa esgroviada que é, se se mostrou abalada com a perda da planta, no segundo seguinte a minha senhoria já estava a dizer "continuem, continuem, está a ficar muito bem. eu até agradeço". E pronto, ficou tudo em paz e nós pudémos continuar, desta vez a fazer piadas e mais piadas com a planta Chinesa.

Adiante. Limpo o chão, alisado o terreno e adicionado o novo solo, chegou a vez de espalhar as sementes:


Depois, remexer o solo mais uma vez, para que as sementes não ficassem 'a mercê dos passarinhos, uma bela rega com a mangueira, por forma a deixar a terra toda molhada e criar o nicho fofinho e húmido para cada semente, e já está.
Por questões de segurança, abstive-me de tirar fotos, caso contrário também a máquina tinha levado um banho.

E pronto, missão cumprida.
Agora é esperar que os primeiros rebentos apareçam.

PS - Faltou aqui a outra "Menina da Horta". Sarita, de certeza que ias adorar. Em contrapartida, arranjei um belo menino da horta, hehehe.
Vamos ver se desta vez nos saímos tão bem quanto da outra.

2 comments:

Catarina said...

Que inveja meninas... E eu que gosto pouco de correr, e ao ar livre... Bem, resta-me lamentar ;p Quanto ao jardim Inês estou mortinha por ver os ditos rebentos, pelas fotos pareceu-me mesmo muito bem o vosso árduo trabalho (árduo porque deve ser mesmo). Quanto à planta especial de corrida ;p comecei o dia a rir à vossa custa, parece mesmo um alienzito da "Guerra das Estrelas" ou assim ;) beijocas para aí!

Sara said...

Ola,
Estou a ver que fui substituida... Quanto tempo demora a crescer a relva?
Beijinhos
Sara