2.12.2007

Inês armada em Empresária

Image Hosted by ImageShack.us
Ouvi Damien Rice pela primeira vez quando fui a um concerto do LAMB em Lisboa e o desgraçado aterrou na primeira parte.

Desgraçado porque, 'a guiza de ninguém o conhecer na altura e a juntar ao azar de ter perdido parte dos aparelhos musicais de que ia necessitar no vôo que tomou nesse dia, a actuação dele foi uma desgraça.

Ele bem tentava, mas quando usava a pedaleira, que não era dele, volta e meia lá entrava qualquer coisa que não estava prevista.

Ninguém lhe ligou durante todo aquele tempo. O pessoal falava, ria, fumava uma erva, sentava-se no chão... tudo menos escutar o Damien. Lá em cima do palco, ele bem gemia e gemia (que é o traço principal do seu estilo interpretativo) mas de nada lhe adiantou.

Talvez pela actuação tão má, nunca mais esqueci o nome dele. No entanto, a meu ver, a fraca qualidade deveu-se maioritariamente a uma grande carga de azar (e guinchinhos a mais). E fiquei com pena. Deu para notar que, embora ele se lamurie muito, parecendo que está em constante agonia e dor, algumas das composições eram até bem boas.

E é aqui que eu entro como empresária (rufar dos tambores):
- eu acho que este senhor devia ir vender o peixe dele para o Brasil uma vez que, como poderão constatar nos exemplos que se seguem, lá têm a capacide de identificar as boas músicas deste senhor, de as adaptar e de lhes dar um toque menos doloroso e mais açucarado, quente.

Estas são as músicas do Damien:





E estas são as mesmas músicas, interpretadas, uma por Ana Carolina e Jorge:

Image Hosted by ImageShack.us


E outra por Celso Fonseca:

Image Hosted by ImageShack.us



Que versões gostam mais?
Acham que tenho vocação para empresária? :P

(ainda me pergunto porque raio faço questões ao pessoal. Ninguém me liga!!!)

6 comments:

Anonymous said...

Ines, eu bem tentei comentar o post das cenas do lab, fartei-me de rir, mas nao consegui, a ver se consigo agora.

So queria dizer que gosto mesmo muito de Damien Rice e para mim o Blower's daughter foi assasssinado pela Ana Carolina e pelo Jorge. Que raio de letra, a letra original é divinal, especialmente aquele finalzinho murmurado:
I can't take my mind of you...
my mind
'Till I find somebody new

Ja o Delicate, adorei, nao conhecia o Celso Fonseca, são só covers?
Beijinhos
Sara

Menina Azul Reciclada said...

Eu tomei conhecimentro do dito cujo atraves da banda sonora do "Closer", um filme que alias gostei muito. Acho a musica dele (ainda que lamuriosa) boa. Tenho pena pelo desgracado que o concerto q foste ver nao tivesse sido grande coisa, mas tb pela onda da musica dele, quem e' que se lembra de o meter como primeira parte dos Lamb?!?!
Quanto 'as versoes brasileiras, ainda que queira nao posso ouvir porque estou no lab e aqui essas novas tecnologias nao sao permitidas nestes computadores da idade da pedra... sorry...

∫nês said...

Gostei muito do Closer... se bem que ainda não percebi se entendi o filme :P

Realmente, por o Damião no início dos LAMB não foi com nada, como se viu.

Pelos vistos as músicas não se conseguem ouvir no EXPLORER, mas se usares Firefox ou outro servidor, deve bombar. Poe os fones que ninguem se queixa :)

∫nês said...

Sarita,

Este albúm do Celso Fonseca tem 9 composições originais e duas covers: uma do Delicate e outra versão em Português de uma música do Henri Salvador "J'ai vu".

Há também uma outra música, com o nosso amigo Jorge Drexler, mas é muito semelhante ao original do mesmo.

No seu conjunto, estas 12 músicas fazem um albúm extraordinariamente bom. Gosto mesmo muito. De certeza que também vais gostar.

Bjitos

puff-cor-de-laranja said...

ines, tens toda a vocação para empresaria!
aqui em portugal o damião (fica estranho, não?!) tb ta a ser cada vez mais conhecido e apreciado!!

Fadalê said...

Prefiro as inflexões, constrates e mesmo até os silêncios na nossa maravilhosa língua, açucarada pelo doce sotaque do Brasil. Boa Empresária.