8.08.2009

Serviço público - Vulvodinia


Hoje escrevo na esperança de que a minha experiência possa vir a ajudar quem por aqui passa. Eu agradeci que outras mulheres tivessem tomado a mesma atitude, tivessem escrito e acabassem por me ajudar!

Já há aguns meses que vinha a sentir ardor e dor aquando das relações sexuais. Logo eu, que visito o ginecologista 4 vezes por ano e que sou super preocupada e zelosa neste quesito. Tenho pavor de todo e qualquer problema que me possa afectar o sistema reproductor e sexual, pelo que tenho mil cuidados.

Se um carro que é usado com regularidade precisa de mudar o óleo de 3 em 3 meses, então é óbvio que o mesmo se aplica 'a minha Vagina.
E' usada, sim senhor, e com muita regulariade, sim senhor!!

Gosto de sexo! Aliás, adoro sexo!

Tenho a certeza que o mundo seria um local bem mais feliz e pacífico se muita mais gente gostasse de sexo e o fizesse com mais frequência (para o que aqui vou relatar não interessa aprofundar a questão "fazer sexo" ou "fazer amor", pelo que me vou abster de dissertar sobre esse tema).

Ora, já estão a imaginar a frustração que foi quando, de repente, aquilo de que tanto gosto e que me dá sempre tanto prazer, passou a estar associado a dor e desconforto. Dei por mim a retrair-me e a evitar fazer amor tão frequentemente.... e isto estava-me a parecer contra-natura, muito errado, muito chato e bastante insuportável.

No médico de medicina interna queixei-me várias vezes. Observou-me e fez análises várias vezes também, chegando sempre 'a conclusão de que nada havia que indicasse infecção, inflamação ou qualquer outra irregularidade. Fui também observada pelo meu ginecologista... e o resultado foi o mesmo. Não havia nada que justificasse os sintomas de que me queixava. Pelo sim, pelo não, este receitou-me um creme 'a base de esteróides, para ver se os tecidos reagiam... e nada!

Passei a pensar no que poderia ser que estava a escapar aos médicos: será que é de alguma coisa que comi? será que é da natação? e se experimentarmos usar lubrificante (muito embora nunca tenha sido necessário)? e se ficarmos umas semanas sem fazer para ver se passa? e se, e se??

Tentámos de tudo, e nem mesmo todo o carinho e paciência do David evitaram que, sempre que fazíamos amor, aquela dor aparecesse. Dor, ardor... era na parte externa, era no interior... eu já nem sabia onde era. Sei que, mesmo tentando e ultrapassando o início (que era a fase mais dolorosa), chegando ao fim, nem com água me podia lavar que a dor me tirava o ar e me punha com lágrimas nos olhos, de tão aguda que era.

Foram vários meses assim, a recorrer aos médicos e a não obter respostas. Assim, fiz aquilo que nunca se deve fazer (se o Dr. House me apanhasse no consultório dele, de certeza que era corrida com um revirar de olhos): decidi procurar na internet se encontrava alguma coisa sobre estes sintomas. Sei que os médicos existem para alguma coisa... e quem sou eu para pensar que vou saber mais que eles. Mas, a situação estava a ser tão desesperadora, que lá me pus a fazer buscas no Google.

E eis que facilmente encontrei imensos relatos de mulheres que se queixavam do mesmo e que, junto dos seus médicos, passavam também pela ausência de um diagnóstico. Continuando a procurar, acabei por perceber que se trata de uma "doença" algo recente, da qual se desconhece a origem ou o tratamento, mas que engloba exactamente todos os sintomas de que me queixava: vulvodinia.... ou de uma forma mais fácil, dores na zona da vulva sem causa identificável.

Percebi que há mulheres que sofrem muito mais que eu, chegando ao ponto de nem poderem usar calças ou se poderem sentar sem que sintam dor. Percebi também, como referi acima, que pouco se sabe sobre esta matéria. Perguntei ao meu médico se este poderia ser o meu caso, ao que ele também se mostrou pouco sábio no assunto, respondendo que é um caso a ser acompanhado durante bastante tempo e que, cada caso é um caso. Sendo assim, só por tentativa e erro, com colaboração tanto do médico como do paciente, é que se pode chegar a um tratamento que ajude aquela pessoa em questão.

Li também na internet que, embora não hajam estudos que suportem essa ideia a 100%, se pensa que a acumulação de oxalato na urina poderá estar na base dos sintomas. O oxalato encontra-se na nossa dieta, em vários alimentos e, quando em excesso, pode ter a sua concentração diminuída recorrendo ao uso de citrato. Desta feita, uma série de estudos, também estes não totalmente conclusivos, mostrou que a administração de citrato de cálcio sequestrava o oxalato e que algumas mulheres ficavam livres dos sintomas (note-se que o importante aqui é o citrato, não o cálcio... o cálcio é só um veículo de administração do citrato).

Uma vez que a ingestão de suplementos de citrato de cálcio em dozes normais não trazem malefícios para a saúde do indivíduo, pensei: porque não?

Assim, comprei citrato de cálcio e comecei a tomar os comprimidos diariamente. Em menos de 2 dias os efeitos já se faziam sentir e, pela primeira vez em alguns meses, não senti qualquer dor quando fizemos amor.

Fez-se luz!!!!

E voltei a ter prazer, e voltei a gostar e a querer e até a ter a iniciativa de ser eu a procurar o David... e desde então que tudo voltou ao normal e que tudo corre sobre rodas.

Tudo graças ao citrato de cálcio!! Revolucionou a nossa vida e passou a ser o nosso melhor amigo :)

Espero, sinceramente, que nenhuma das leitoras que por aqui passam tenham, sequer, um vislumbre dos sintomas que referi mas, caso seja esse o caso, espero também que este post possa vir a ser útil e a evitar sofrimento desnecessário!

Para a maioria saudável e sem problemas (homens e mulheres) façam sempre muito sexo e sejam felizes! :)

53 comments:

Anonymous said...

Informação muito interessante.
Obrigada.

Juliana Reis said...

Boa informação Inês.
Eu sou enfermeira e desconhecia. Vou ler mais sobre o assunto.

Anonymous said...

Também tenho de dizer que desconhecia por completo. É sempre bom partilhar este tipo de informação. Viva o citrato de cálcio!

Ivone

Susie said...

N fazia a mínima ideia, é bom andarmos informadas, nunca se sabe.
Bjinhos

CRS said...

Olá Inês, já tinha lido este teu post há uns dias. Na altura não comentei, mas tinha de cá vir dizer-te isto. Obrigada por partilhares a tua história. De certeza que muita gente vai vir aqui parar à procura de uma "cura" para este problema. Ainda bem que a encontraste. Sei demasiado bem o que é ter um problema que os médicos não conseguem diagnosticar, muito menos sugerir um tratamento.

Aproveito para dizer que gosto mesmo do teu blog :) Pela sua genuinidade.

Sau said...

Olá, e obrigada pelo teu post sobre doenças que podem afectar todas nós, com efeito, acho que o melhor mesmo é beber muita água, 2 litros por dia ou mais... limpa tudo e não precisamos de tomar mais nada!
Abraço,
Sau

Anonymous said...

olá, mas no seu exame de urina apresentava a presença de oxalato?
Bjosss

∫nês said...

O médico fez exames 'a urina e disse que estava tudo dentro dos níveis normais... não sei se incluiam oxalato.

Anonymous said...

Olá Ines,julgo que estou com o mesmo problema,tambem eu já passei por vários medicos e vários tratamentos e nenhum deles me tem feito qualquer efeito, já estou assim a alguns meses...Gostaria de lhe perguntar o nome dos comprimidos que tomou e se comprou na farmacia ou ervanaria, talvez comigo tambem resulte:)não custa nada tentar.
obrigada :)
carina

∫nês said...

Olá Carina,
Lamento que estejas a passar pelo mesmo. Espero que o citrato de cálcio te ajude. O que tomo é o Citracal, da Bayer:

http://ecx.images-amazon.com/images/I/419oOB-pv7L._SL500_AA280_.jpg

Comprei numa farmácia normal.
As melhoras!

Anonymous said...

Olá querida!

Acabei de ler teu post... E cheguei a ele pelo google, digitando: VULVODINIA.
Há um mês estava com o mesmos sintomas que relatas. Hoje, fui a minha ginecologista... Também eu, assim como tu, vou regularmente e tenho o maior cuidado para com minha higiêne íntima. Após um exame básico, de toque, nenhum diagnóstico preciso. Tudo perfeito. Mas e a dor??? Bem, estou eu com uma lista de exames para fazer amanhã, segunda e terça. Mas com uma possibilidade já em vista, vulvodinia.
Minha ginecologista já me adiantou, que essa é a causa mais provável de minha dor. Ela já me esclareceu o que seria essa nova "manifestação", que nos pegou de surpresa não é?
Tratamento??? Ela não me falou em medicamentos ainda, mas sim de um fator que seria o causador desse mal em minha pessoa, o STRESSE.
Dá pra acreditar??? Uma "doença moderna" como o stresse, agora me traz mais um "problema" que eu nunca tinh ouvido falar.
Ah, a vida moderna...
Quinta levarei os exames para a Dra. Vamos ver qual será o meu caso. Abraços!

∫nês said...

Folgo em saber que o meu testemunho pôde servir de ajuda num caso destes. Espero sinceramente que melhores e que tudo não passe realmente de uma fase de mais stress, se fôr essa a causa. De qualquer das formas, podes tentar o citrato de cálcio, mal não pode fazer. Eu continuo a dar-me bem!
Beijinhos e as melhoras!

Catarina said...

olá
Ainda nao descobri o que se passa comigo. Tambem tenho dor durante e o ardor após.. Já fiz tratamento pra bacterias fungos e montes de exames (mesmo o medico dizendo que tenho um aspecto normal e que nada indica isso).
No inicio nada doia e depois passou a doer sem eu perceber porque e já ando nisto à 2 anos... Não aguemto mais... Espero que seja isto...
Queria só certificar-me que a dor perdura durante todo o acto e se o ardor vem após (dura algumas horas até voltar ao normal).

Obrigado
Catarina Pires

∫nês said...

Olá Catarina,

No início doía bastante, sendo uma mistura de ardor com um tipo de "picada". Ultrapassados os primeiros momentos, a coisa parecia adoemrcer não deixando contudo de ser desconfortável. No fim, se me queria lavar ou apenas urinar, o ardor era do mais agudo e doloroso que recordo alguma vez ter sentido. Estes eram os meus sintomas... não sei se será igual para toda a gente, mas pode ser que o citrato de calcio seja igualmente útil.
As melhoras e pergunta sempre!

Catarina said...

Obrigado.
vou tentar então o citrato de calcio.
Se ficar resolvido prometo que te venho dizer :)

bjs
espero que seja desta...

∫nês said...

Espero que sim, que seja a solução!
Fico 'a espera de saber... obrigada pela atenção!
Boa sorte! :)

Catarina said...

Olá :)
olha fui à farmácia e disseram-me que não existia... Então fui a uma ervanária... E não havia citrcal da Bayer mas quando pedi citrato de calcio deram me Calcium Magnesium Citrate da Solgar.
Achas que serve?

bjs grandes

Disseram-me pra tomar dois por dia (quantos tomavas?)

Rachel Venturini said...

Ola estou a passar pelos mesmos problemas que você, gostaria de saber qual a quantidade diária de citrato de calcio que você tomava (300, 400 ou 500mg) e quanto tempo demourou para perceber uma melhora?
Obrigada, Rachel

∫nês said...

Olá Catarina,

Desde que seja citrato de cálcio, penso que qualquer marca dá. Eu comprei a primeira que encontrei.

Tomo 2 comprimidos por dia, num total de 630mg diários (respondendo 'a Rachel também). Comecei a sentir melhoras logo 2 dias após a toma do primeiro comprimido.

Beijinhos e as melhoras para todas!

Anonymous said...

Minhas queridas

Foi com muita surpresa que descobri este blog...após inúmeras pesquisas acerca do tema "vulvodinia" eis que um dia me deparei com os vossos relatos e desabafos.
Sofro de um problema muito semelhante ao que vocês aqui descrevem...de á 2 anos pra cá a minha vida transformou-se num autêntico inferno!As dores e os ardores começaram de forma muito suave mas rapidamente se apoderaram do meu corpo e agora permanecem em mim 24 horas por dia!É um mau estar tão grande, nem tenho palavras!!!Tenho dificuldade em andar, em estar sentada no trabalho durante longos periodos de tempo, até mesmo a dormir...chego a acordar várias vezes durante a noite com aqueles ardores horriveis! Tenho consultado muitos médicos (inicialmente ginecologistas, mas o desespero é tanto que já recorri a outras especialidades)e feito inúmeros exames...mas nada! Não existe um diagnostico, um tratamento, uma solução...absolutamente NADA!
No meio disto tudo acabei por perder o namorado e sobretudo a alegria de viver...
Preciso muito da vossa ajuda e do vosso aconselhamento. Digam-me por favor a que médicos têm ido e que tratamentos têm feito.Tenho andado á procura do citrato de cálcio tanto em farmácias como ervanárias mas não encontro, provavelmente estou a ir aos sitios errados.
Um grande beijinho a todas, aguardo as vossas respostas.

CSA

Anonymous said...

Bom dia...

Tb eu sofria do mm problema qd descobri este blog, entretanto comecei a tomar citrato de calcio e melhorei um pouco, contudo, gostaria de saber se alguém teve algum outro sintoma como a perda de sangue escuro entre as mestruações desde q toma o citrato... Obrigada!

Júlia

∫nês said...

Olá Júlia,

Desde que comecei a tomar o citrato de cálcio que os sintomas desaparecem e não apareceu nada inesperado. Nunca tive sangramento entre mesntruações.

Boa sorte,

Inês

Anonymous said...

Obrigada Inês...

Fui hoje à ginecologista... mandou-me parar o citrato para ver se tenho melhoras... vou ter q voltar às pomadinhas inúteis de estrogénio... e parece q a uns comprimidos tipo relaxante(q eu n consigo ver a utilidade neste caso)...

De qualquer forma... Obrigada pela ajuda... pelo menos durante dois meses fui-me safando! lol

Júlia

Anonymous said...

Olá a todas!
Estou a escrever para vos dar o meu testemunho. Há 4 anos começei a sofre de dores horriveis a nivel genital. Identifico-me com a maioria dos relatos que estão no blogue. Após muito sofrimento, corridas para inumeros médicos e tentativas (frustradas)de vários tratamentos uma ginecologista falou.ne na palavra (nunca antes ouvida) VULVODINIA. este foi o meu diagnóstico após 4 anos de dores. Quando soube foi muito complicado aceitar e tive muito medo de nunca poder fazer amor como qualquer outra mulher, no enatnto e, após 4 meses de tratamento, venho vos dizer que "estou no céu!"...como nunca estivee como nunca pensei voltar a estar...Estou a contar a minha experiência para dar esperança a todas a mulheres que possam sofrer desta doença. Sim, porque ao contrário do que muitos médicos me fizeram crer, isto é uma verdadeira doença e não algo fruto da minha mente. Infelizmente tive que passar por muitos obstáculos até ficar boa. Quando a minha médica me diagnosticou Vulvodinia e me explicou em que consistia fiquei muito assustada mas ao mesmo tempo leve, poi finalamente alguém compreendia do que me queixava há tanto tempo. Comei a tomar antidepressivos triciclicos (este é apenas um dos tratamentos) e a ter vários cuidados que outrora não tinha - usar ropua confortável e nunca apertada, beber muita água, lavar-me sempre que urino etc. Todos estes cuidados podem ser vistos na Associação de Vulvodynia. Quem quiser pode consultar na net. O meu tratamento começou a fazer efeito apó 15 dias mais ou menos, fiquei logo 15 dias sem qualquer dor, e pela primeira vez em muitos anos, senti-me novamente uma mulher a 100 por cento. Calro que os dias sem dores não são uma cosntante, pois a doença continua e temos que aprender a lidar com isso, eplo menos é o que tem acontecido comigo. Todos os meses tenho dias em que a Vulvodinia me vista e as dores voltam, no entanto, á apenas num curto espaço de tempo, e os dias bons regressam. Actualmente tenho relações com o meu namorado de uma forma saudável e muito muito prazerosa. Estamosa tentar engravidar e quando pensao em tudo o que se passou na minha vida nos ultimos 4 anos, nem acredito no que estou a viver. Estamos muito, muito, muito felizes. Espero que o meu testemunho possa ajudar alguém, nem que seja a dar esperança. O mais importante é encontrar um médico que conheça esta doença e apartir daía podemos ter todo o seu apoio. Por exemplo, algo com o qual me ptreocupava muito era o parto, se ainda tenho dores algumas vezes, como iria sobreviver a um parto?Falamos com a médica (a minha querida médica) e ela de imediato deu a sua opinião, transmitindo-me segurança e confiança. Irei fazer cesariana, pois não poderei correr o risco de fazer um parto e piorar.
Agora é fazer muito amor e esperar que o nosso bebé venha...caso queiram mais informações perguntem, estou disponivel para ajudar.

Um bem hajam e sejam muito felizes!

Anonymous said...

Ola, obrigado pelo teu testemunho Ines.

Eu sofro do mesmo problema, e ja tentei varias coisas, mas sem efeitos. É a primeira vez que oiço falar de citrato de calcio, por isso e como ando desesperada, vou tentar. Andei a procura em farmacias, mas nao encontrei, e numa ervanaria encontrei citrato de calcio, mas com vitamina D. Achas que ha algum problema?

bjs

∫nês said...

Olá,

O que eu tomo tb tem vitamina D. Não me parece que faça mal.
As melhoras!

Anonymous said...

Olá Inês,
Tbm fuii diagnosticada com Vulvodínia, a minha ainda mto no inicio, meu médico me passou um antidepressivo triciclico e tbm me passou um medicamento chamado CALDÊ (creio eu que citrato ou carbonato de calcio), pois comentei com ele o resultado positivo em outras pacientes, vc axa que citrato ou carbonato todos tem o msm efeito? E assim vai ter q tomar sempre o citrato ou foi (é) só por algum tempo?

Estou com mtas dúvidas com relação ao tratamento! ESpero que esses medicamentos possam realmente me ajudar!
Agradeço uma resposta!

IGS

lidia said...

gostaria de agradecer seu comentário, pois estou com os mesmos sintomas a 5 anos e nenhum médico consegue descobrir nada. Já passei com vários médicos,fiz vários exames, até estou em tratamento com psicóloga, mas até agora nada. Só dor e mais dor o meu casamento em relação ao sexo está terrível pois eu não tenho nem vontade, pois a dor é muito grande. Amanhã mesmo vou comprar o citrato de cálcio e vou tentar. Obrigada.

Anonymous said...

Já não é a primeira vez que vos escrevo..mas sempre que visito o blog fico cada vez mais impressionada com a quantidade de mulheres que sofre com este problema.
Um dos comentários com o qual mais me identifiquei e que considero extremamente comovente foi o da Sra. anónima que tem vulvodinia á cerca de 4 anos e que de momento está a tentar engravidar, tendo iniciado o seu comentário da seguinte forma "Olá a todas!".
Preciso de ajuda, estou completamente desesperada! Tenho exactamente os mesmo sintomas que descreves desde ha 2 anos...tenho ido a inúmeros médicos (até já perdi a conta) e feito todo o tipo de exames, mas ainda não encontrei uma solução nem nenhum médico especialista nesta área. Alguns deles têm-me dito que este é um problema crónico, para toda a vida e que ainda não existem tratamentos para a sua resolução. Não aceito esta resposta e por isso mesmo tenho lutado com todas as minhas forças para descobrir alguém que me ajude!
És a minha ultima esperança... gostaria de te pedir por favor para me forneceres o nome ou o contacto da médica que te tem acompanhado e que é conhecedora deste assunto (vulvodinia). Não ignores o meu apelo, tenho muito interesse em trocar outras informações contigo. Aqui vai o meu e-mail, fico á espera de noticias: clau.sofia.alves@hotmail.com
Muito obrigada e até breve!

castro.adri said...

Ola a todo mundo!

Sofro muuuuuuuuuuuuito disso..
Ja fui a milhoes de médicos, ja enfiei milhões de pomadas, ja tomei milhares de FLUCONAZOl para fungos, bactéria..
ja fiz tratamento com uma terapeuta sexuaal.. e cheguei a uma conclusão..
Não era coisa da minha cabeça.. era DOR mesmo.. ARDOR..
quando procurei vulvodinia e achei esses posts de mulheres passando pela mesma coisa q eu.. me senti mais aliviada...
não sou anormaal..
haha
porque até entao, achei que não era normaaal.

ainda nao fui ao médico, mais vou comprar esse citrato de calcio, pra ver se melhora.. ja tentei tantaaas coisas.. se não faz mal.. vou tentar..

e vc tomou 2 por dia??

Depois conto a voces, se deu certo!

Obrigada

Anonymous said...

Olá a todas mais uma vez! decsulpem não ter respondido mais cedo aos apelos de algumas de vós que escreveram directamnte para mim.Quando ficamos livres disto parece que queremos apagar isto para sempre e acabei por não vir ao pc procurar cs que me lembrassem tudo oq ue passei.
Aconseilho-vos a comprarem o livro !the vulvodynia survival guide". Eu encomendei pela net e tem me ajudado muito. Paralelamente aos antedepressivos cumpro a mioria das suas sugestões e tenho melhorado muito mesmo. No livro tem tudo sobre esta doença, testemunhos, sintomas, tipos, tratamentos etc. Comprem, pois vale mesmo a pena. Algo que aprendi neste livro (foi escrito por especialistas)é que em vez do citrato para fazer o mesmo efeito devemos beber muita água e evitar alguns alimentos - chocolates, batata doce, morangos, café, amendoins, aipo, amoras, abóbora. No livro tem muito mais coisas importantes.
Em relação á minha médica chama-se Drª Andreia e trabalha na Clinica da Mulher mas fica nos Açores, Não sei se ainda queres o contacto já que não trabalha no continente.
Aconselho-vos mesmo a comprarem o livro e a terem o máximo de informações quando forem ao médico para eles terem consciência da existência desta doença e da sua gravidade!

Muita força e muita sorte!

Qualquer coisa prometo que virei mais vezes ao blog para ver se me responderam

Não desistam!

Anonymous said...

Descobrir esse blog me deu muita esperança. Estou assim há 1 ano. Como todas vcs, já fui a alguns médicos e, no máximo, consegui um diagnóstico de dermatite atópica. Gastei muito dinheiro com vacina para alergia e não vi resultado praticamente nenhum. As informações que achei aqui fazem todo o sentido, pois, logo antes do ardor se tornar crônico, tive duas infecções urinárias seguidas, que podem ser sintoma de oxalato de cálcio muito elevado na urina. Já comecei a dieta de baixo oxalato e vou me informar com meu clínico geral sobre o citrato (dosagem, possíveis efeitos colaterais...).
Muito obrigada por dividir essa infomação conosco. Venho pesquisando há muito tempo, mas só ontem achei seu blog. Presente dos céus!!

Anonymous said...

PSICOESPERANÇA

Olá meninas,
Muito legal esse blog! Sofro do mesmo problema e Tb me sentia anormal. Lendo os depoimentos, parece até q fui eu que escrevi alguns, de tão semelhante com o que passo. Sofro a muitos anos deste problema e como vcs, já fui a vários médicos e de diferentes especialidades (q por sinal se demonstraram muitas vezes leigos no assunto. Pensam que é só psicológico ou até mesmo frescura). Bom, como psicóloga, creio que o fator emocional venha sim a ter a sua contribuição, mas não só ele. Acredito que muitas vezes o fator emocional venha a piorar o nosso problema, depois da descoberta da vulvodínea. E não ser sempre o problema central. A impressão que tenho é que os médicos estão ainda tão perdidos neste assunto que ficam iguais a nós. Tentando de tudo... Toda semana que eu ia ao ginecologista era uma pomada diferente, um comprimido diferente. E nós desesperadamente terminamos a nos submetermos a esse tratamento que termina ficando caríssimo. Depois de vários tratamentos sem sucessos resolvi dar um tempo nos medicamentos. Pq? Pq estava piorando. Eu ficava cada vez mais esperançosa, ansiosa, estressada e no final... Nada resolvia. A expectativa é boa, mas trás muita frustração qd não se resolve. Durante o tratamento surgiram outros problemas. Infecção urinária, cândida e uma sensibilidade muito maior na vulva. Pois o (candicord) usado durante muito tempo, também tem as suas reações. A dor vulvar pode ser causada por vários fatores, as vezes vários fatores em uma mesma pessoa. E cada pessoa precisa descobrir qual é a causa da sua, por isso o tratamento não é igual para todos. Em outro bolg já vi depoimentos de pessoas que ficaram boas com tratamentos homeopáticos, com tratamentos psicológicos, com tratamentos tópicos, cirúrgico ou com remédios antidepressivos (q atuam na dor) . Tentei todos esses. Para mim não resolveu nenhum infelizmente. Depois de um ano sem fazer nenhum tratamento estou de volta a um novo tratamento. Agora: FISIOTERÁPICO e o melhor, um tratamento não muito intrusivo como os outros. Estou numa espécie de “cobaia” e novamente com bastante esperança. Estou fazendo parte de um grupo de estudo e estou muito disposta a ajudar nos resultados destes experimentos. Já fiz 2 sessões. Me faltam 6 e depois, venho contar a vcs se deu resultado. Pois nesse tipo de tratamento não há contra indicações e nem reações diversas, como efeitos colaterais. Espero estar fazendo parte de uma nova descoberta para todas nós. Daqui a 2 meses volto a dar meu depoimento se foi eficaz ou não. A médica que está me orientando é super legal e tem conciência de que a minha dor é real. A minha maior felicidade é ela já ter me antecipado que os resultados com pacientes anteriores estão sendo muito satisfatórios. Mas só quero dar certeza a vcs se realmente acontecer comigo. Esse que estou me submetendo é um tratamento novo. O resultado da pesquisa só sai no final do ano, mas a minha parte eu antecipo assim q terminar o meu tratamento. Espero que seja uma revolução e uma nova descoberta. Também espero que os médicos ginecologista do nosso Brasil dêem mais valor a esse tipo de problema, estudem mais e consigam ajudar a nós mulheres que sofremos com esse problema.
Abraço a todas!

Elaine said...

Inês, primeiramente adorei o seu blog. Realmente é complicado quando os médicos não encontram o que temos. A sensação é de "anormalidade". Preciso de ajuda, pois fui em busca do citrato de cálcio em diversas farmácias mas aqui no Brasil o que vendem é o carbonato de sódio (que pelo que li em diversos sites médicos não é um suplemento alimentar "interessante" pois como não tem uma absorção tão boa quanto do citrato ele pode gerar cálculos renais, calcificações nas mamas e artrite). Será que vc não poderia me encaminhar o citrato por correio? Será que alguém conhece onde consigo este complemento?

Unknown said...

Olá Inês, excelente o seu blog! Quero parabenizá-la pela postagem sobre vulvodinia, e pelo citracal. Esse tem sido o meu drama há 3 anos, e fui tratada até com Botox na bexiga sem nenhum benefício pois as dores continuaram. E nesta semana após tantas orações e pedindo a Deus, e mais outras tantas pesquisas pela internet através do oráculo google é que encontrei esse nome que jamais havia ouvido ou imaginado a tal "vulvodinia". Agora através do seu blog surgiu uma nova esperança para minha vida, acredito que Deus colocou você como um instrumento para ajudar a muitas mulheres a voltar a desfrutar de uma vida normal e saudável, que é como ele quer.
Gostaria de aproveitar a oportunidade para saber também quantos comprimidos você toma por dia. Desde já meus sinceros agradecimentos desejando a você muita saúde e muitas felicidades.
At. Nádia obs: meu e-mail é nadia.fgomes@ hotmail.com

Anonymous said...

Ola Ines, Obrigada pelo seu Blog, Eu assim como vc, sofri muito com a vulvodinia, mas a minha era 24 por dia, ardor sem parar, chorava todos os dias, nao podia sentar, nao podia usar calcinha, nem calca-jeans, nao podia beber alcool, vivia deprimida e sem vontade de fazer nada, parei de trabalhar pq a frequencia urinaria era muito grande acompanhada de depressao, fui a mtos ginecologistas e tomei mtos remedios e nada, Ate eu descobrir na internet o nome da doenca: vulvodinia, e entao fui em um medico especializado (desde do bisavo ja era ginecologista)na Alemanha, Dr. Weiss, ele disse que existem diferentes origens para a vulvodinia, alguns sao com o excesso de oxalates e calcio citrate melhora(alias as meninas podem comprar pela net, ou se conhecerem alguem que mora nos USA,se encontra em qlqr farmacia por la) outros menopausa que com lubricantes tbm melhoram, mas no meu caso, foi diagnosticado origem nervosa, e agora estou tomando 5 gotinhas de amitripitilina a noite e sou outra pessoa ;),estou muitooooo feliz, no entanto, nao posso tomar cafe, coca cola ou chas pretos, pq eles cortam o efeito do remedio,e pra voltar a funcionar demora mais de duas semanas,em fim, espero ter ajudado, Abracos, Vivian, Se alguem tiver perguntas, pode entrar em contato comigo: vivianmoraes19@hotmail.com

Anonymous said...

Olá. Lendo o teu caso (e desculpa tratar-te por tu, mas não o faço desrespeitosamente) e vendo o meu, há diferenças, mas os oxalatos fazem algum sentido no meu caso, porque eu como muitas amêmdoas e avelãs que são ricas em oxalatos. Não encontro, no entanto, citrato de cálcio à venda na farmácia e pelos vistos está esgotado. Alguma dica onde possa comprar o citrato, por favor?
Susana Carvalho

Anonymous said...

ola!meu chamo solange! sofro ha 3anos deste msm sitomas;ja nao sei + o Q. faço para melhorar,ja usei varias as pomadinha e comprimidos,mais ate agora nao tive resultado nenhun ,me sinto inutil do lado de meu marido e nao poder toca.li sobre o assunto no teu blogue.vou tentar o citracal.bjs!!

Anonymous said...

Ola minha gente, também tenho algo a dizer, a partilhar. Eu há dois três anos fui a medica com os mesmos sintomas que relatam, ardor, dor desconforto.. Algo que me tirava toda a energia, forca, algo muito mau. Algo que mexe com o mais intimo de uma mulher..
Tive vários diagnósticos, logo vários tratamentos.. Já me considero a primeira dama das pomadas.. Todos os médicos gineco, e dermat teimavam que era candidiase e assim andei a colocar pomadas e mais pomadas que nem ao diabo lembrava.. Cansei da situação e pedi a minha medica para fazer um biopsia ao tecido e assim se fez.. O resultado condilimas de alto grau.. Muito bem agora sim tinha os médicos preocupados, toca a marcar cirurgia de um dia para o outro. Recusei a pressa e procurei informação de quem estaria mais habituado a tratar estas situações, fui então parar ao hospital da luz onde fui muito bem tratada.. Liser em cima da vulva e do colo um mês de recuperação e o problema dos condilomas tinha desaparecido mas, há sempre um mas... O problema da ardência da dor do mau estar... Continuava e cada ia q passava pior, as calcas atrapalhavam, a higiene Tb atrapalhava...enfim... Foi então que me disseram que tinha vulvodinia, factores desconhecidos.. Falei com vários médicos que mandavam tomar calmantes, diziam que era tudo psicológico, sei que sou as vezes tola mas quem nao é? Mas tanto quanto me pintaram tinha a certeza qu nao.. Parti a descoberta de alguém que fosse bom em doenças da vulva e digo-vos que em Portugal só há um medico...todos os outros nao sabem nada sobre vulvodinia sobre hpv, nao sabem nada, só sabem o que lêem podem ser competentes em muita coisa mas nestes caso há muito poucos, e em vuvodinias só há um que quis ler, estudar, e arranjar soluções,
Estou para aqui com este palavreado todo mas neste momento acabei de ser operada para resolver a minha vulvodinia, nao sei ainda como vou ficar, se vai resolver mas com fé acreito q seja a solução.
A minha dor era mesmo na entrada da vagina na parte inferior, uma dor terrível, segundo o medico tinha uma coisa muito simples que se tivesse um diagnostico bem feito lofo de inicio nao seria necessária cirurgia, umas glândula que se encontram no vestíbulo inflamadas e que só removendo.. O medico diz que fico 100 % o mais difícil será a parte psicológica do medo quando voltar a ter relações . Deixo o meu testemunho, nao desistam que eu também nao desisti, e esqueçam as pomadas o problemas é para ser resolvido..
Paz e bem

Anonymous said...

Minha querida, também escrevo de Portugal e padeço deste problema á 5 anos. Já consultei dezenas de médicos e ninguém me consegue ajudar...é um desespero!!! Diz-me, por favor, o nome desse médico para que o possa consultar o mais rapidamente possivel. Beijinho, um grande bem haja!

Shtelytzia Lytz said...

Olá!
Nossa!!! Parece que estou me vendo nesta história... Meu caso é bem mais antigo, mas muito parecido no que se refere à dor. Durante as relações, parece que estamos o tempo todo sendo penetradas por uma faca... E o pior é que sempre tive vulvodínia (nome que só fui saber ano passado), com maior ou menor intensidade. Nenhum médico conseguia diagnosticar o problema; diziam que era tudo psicológico - inclusive meu ex-marido, que achava até que eu tinha algum trauma de algo ocorrido na infância.
Às vezes, por tesão ou paixão, tentava ignorar a dor e conseguia ter relação de uma forma um pouco mais "normal"... Mas agora na menopausa, a situação piorou muito, e estou tendo que fazer reposição hormonal. Mesmo assim, e também utilizando o lubrificante que a ginecologista indicou (Dersany) para quem sofre desse transtorno, melhorou um pouco, porém, ainda tá muito difícil! Mas, fica a dica. Segundo a ginecologista, o KY não é indicado para quem tem vulvodínia; assim como o sabonete, que não pode ser comum, tem que ser neutro ou próprio para a região genital. Calcinha, claro, só de algodão, e por aí vai... Também já ouvi falar de um medicamento que ainda vou procurar saber detalhes: a Gabapentina... Quem sabe, né?!? Só quem sofre disso para ter uma ideia do nosso dilema. Boa sorte a todas nós!!!

Maria Joao said...

Ola A todas mandei agora um mail a pedir o nome de um medico ou medica em Portugal para tratar a vuvodinia...
confesso que n percebo mt de blogs e mandei o mail,sofro deste prolema há quase 1 ano e dps da ida a 5 médicos la encontrei 1 que descobriu o q eu tenho....mas ele n me sabe tratar,diz que não sabe o q me dar para passar...
Ajudem me p.f.
obg
Maria joao

Simone said...

Alguém com vulvodinia tem corte e sangramento no mesmo local toda vez que tem relação sexual? Já fiz todos os exames e não consta nada, já estou com esse problema há 7 anos....
Agora a última gineco q consultei diagnosticou como vulvodinia, mas não encontro relato de corte e sangramento, só os outros sintomas como dor, ardência, queimação, sensação de uma estar sendo penetrada por uma faca....
Alguém consegue me ajudar?

Bruna said...

Olá meninas,

Há 6 anos que caminho constantemente para médicos ginecologistas e homeopatas e nada resolveu, fiz inumeros exames e nada. Há uns dias ao ver a série do sexo e da cidade apareceu um episodio alertando para vulvodinia, os sintomas são os meus e realmente é horrivel convivermos com isto todos os dias. vou experimentar o citrato de calcio e espero que faça efeito, é desesperante. Obrigada por partilharem o vosso conhecimento. Bjs

Anonymous said...

olá meninas sofro do mesmo mal, porém sinto mais coceira e ador na relação sexual,, e fui a procura deste citrato de calcio, comprei citracal da bayer como a blogueira falou, mas a embalagem é azul.. 600mg, mas na composição diz carbonato de calcio.. será o mesmo efeito?? oq vcs acham?? aguardo a resposta de voces... continuaram a alimentação normal?? obrigada

Anonymous said...

Olá, encontri este blog por acaso em pesquisas. Por favor, informem-me quem é esse médico em PT que trata do assunto. Por favor. Estou DESESPERADA.

Obrigada!

Ana

Anonymous said...

Olá a todas..

Ficaria muito grata se fosse possível a divulgação do nome desse médico em Portugal; e de onde trabalha claro.
Como li num dos depoimentos será o único talvez ou um dos poucos que realmente percebe deste tipo de queixas.
Muito, muito obrigada.
Felicidades e sucesso para todas...

Anonymous said...

por favor podem dizer o nome do tal médico.tb tou a sofrer mto e preciso d ajuda...

Anonymous said...

Muito Obrigada!!! Eu li o seu post e comprei o citrato de calcio !!! Foi milagroso!!! E olha que eu ja tinha feito de tudo: fisioterapia, nujol, lidocaina e isso tinha dado pouco resultado mas o citrato de calcio em duas semanas resolveu o problema de anos!!! Se nao fosse o seu blog estaria sofrendo ainda

Anonymous said...

Boa tarde,

Identifico-me muito com os sintomas da Vulvodínia. Apenas não tenho qualquer tipo de ardor ou dor ao nível da vulva, só mesmo no canal vaginal. Tanto que consigo tirar o máximo de prazer do sexo oral e tenho orgasmos clitorianos com frequência.

O que sinto é uma dor aguda durante a penetração e um ardor intenso após, sem que haja infecção (embora já tenha sofrido de Candidíase), falta de lubrificação, vaginismo ou razões de ordem psicológica, que são as principais causas apontadas pelos ginecologistas. E acreditem, já passei por vários em busca de uma solução para o meu problema, mas nenhum conseguiu encontrá-la.

Também li que o "tratamento" para a Vulvodínia é multi-disciplinar e engloba diversas vertentes, nomeadamente:
- Eliminar da dieta alimentos ricos em oxalatos, como chocolate, cafeína, adoçantes, pimenta, espinafres, beterraba, nozes e amendoins, alimentos que consumo com muita frequência, uma vez que não como carne nem peixe e tenho de encontrar substitutos que me confiram os nutrientes necessários;
- Eliminar irritantes, usando sabões neutros, óleos vegetais para lubrificação, lidocaína, estrogénio tópico...
- Iniciar a toma de anti-depressivos e analgésicos fortes, algo que não me agrada minimamente;
- Reabilitação muscular;
- Cirurgia (vestibulectomia com vestibuloplastia).

Estou a pensar experimentar o Citrato de Cálcio, que encontrei no Celeiro:
http://celeiro.pt/produtos/citrato-de-c%C3%A1lcio-com-vitamina-d3-240-comp-solgar-958462

Quanto à diferença entre o citrato de cálcio e o carbonato de cálcio, pelo que li, o citrato tem uma biodisponibilidade 2,5 vezes maior, ou seja o citrato é melhor absorvido que o carbonato.

Obrigada pelos vossos testemunhos. Para quem sofre deste problema há mais de 6 anos, é importante saber que não estamos sozinhas e que há esperança de tratamento.

Nildes Pedras said...

Por favor me escreva este blogue,tenho esta doença, e gostaria de tira dúvidas. Meu email: nildesj@hotmail.com



Nildes Pedras said...

Estou desesperada sem saber o que fazer, os antidepressivos não fazem mais efeitos. Quero saber deste citrato.vou converssar com minha medica se eu posso tomar, pós tenho insuficiência renal aguda. Um abraço Nildes

Anonymous said...

Inês, deixo aqui meu testemunho e espero poder ajudar de alguma forma:

O sexo em casa sempre foi tabu. Não falávamos sobre isso, e era repreendida por minha mãe sempre que ela me "pegava" em um momento íntimo com o namorado (mesmo sendo namorado há três anos).

Aos 23 anos resolvi ir à uma boate e bebi demais. Fui convidada, com algumas amigas a ir à casa do "paquera", e lá fomos nós. Entre uma taça e outra, ele colocou algo na minha bebida. Não lembro de muita coisa, mas eu estava nua, coberta por um lençol e não conseguia pronunciar as palavras, lembro de fazer força pra levantar da cama,mas não consegui. Resultado: sofri um abuso, tomei pílula do dia seguinte e me sentia muito culpada pelo acontecimento. ( Guardado até hoje a sete chaves).

Aos 24 anos resolvi namorar com uma pessoa dez anos mais velha. Terminamos quatro meses depois, quando ele forçou sexo sem preservativo e eu não aceitei.

Aos 27 anos resolvi ter uma relação com o namorado no dia em que assumimos o relacionamento : eu senti uma dor muito grande, não conseguia aguentar a penetração. Achei que poderia ser por causa da "falta de intimidade", ou ainda, nervosismo, tentei achar mil motivos, só que não melhorei. Todas as vezes que tentamos transar eu não conseguia, então, comecei a viver em emergência ginecológica nos hospitais.

Recebi diversas vezes o diagnóstico de candidíase, sempre me mandavam colocar pomada, tomar fluconazol, e eu fiz isso pelo menos trinta vezes. Não tinha vontade de fazer absolutamente nada, porque a minha vagina ardia muito. ficava inchada, eu sentia muita dor mesmo.

Até que no auge do meu desespero fui a um DERMATOLOGISTA. Ele disse que não podia me ajudar, por não ser sua especialidade, mas indicou um anjo na minha vida.

A Dermatologista receitou CLORIDRATO DE AMITRIPTILINA 25mg e eu melhorei 95%.

E aí vem a pergunta : por que relatei alguns pontos negativos dos meus antigos relacionamentos? Eu já visitei pelo menos dez ginecologistas. A mais experiente me disse que essa doença é psicossomática, com CUNHO PSICOLÓGICO. Perguntou-me se eu já havia sofrido algum abuso porque algumas das pacientes que passaram pelo consultório tinham HISTÓRICO de abuso sexual, sendo aconselhável procurar ajuda de um psicólogo.

Foi o que fiz. Não posso dizer que estou 100%, mas posso VIVER SEM DOR e isso não tem preço.

Obrigada por compartilhar conosco seu problema, e espero que possamos ajudar muita gente que sofre com esse mal.