1.30.2008

Candlepin

Na 2a feira A. mandou um email 'a malta, onde falava deste desporto, que pelos vistos é típico da Nova Inglaterra. De imediato, J. respondeu que conhecia um sítio em Jamaica Plain, chamado Milky Way, que era muito fixe e que 'as 3as feiras até tinha Karaoke.

Email para cá, email para lá e em menos de nada já éramos 6 para ir na noite seguinte a uma sessão de jantar, candlepin e karaoke no Milky Way.

Após uma viagem algo atribulada devido 'a estreia do nosso GPS (que ficou carinhosamente apelidado de Gina... "vá, Gina! Dá-nos as instruções", diziamos nós para a menina que se encontra dentro da maquineta) lá chegámos nós ao nosso destino.

O local é mesmo muito giro. O espaço é grande, bem decorado, com luzes baixas. Uma coisa que me agradou de imediato foi a música estar no volume certo, por forma a que, mesmo fazendo-se ouvir, não nos obrigar a estar aos berros.
Isto até ao karaoke começar claro... já vos conto.

O jogo, embora bastante simples, é mais difícil que o bowling, pois as bolas são menores e os pinocos são mesmo tipo velas, direitinhos e sem aquelas barrigotas que ajudam a acertar nos pinos de bowling. Acertar é o cabo dos trabalhos.


Vê-se mesmo que o jogo é já de tradição uma vez que todo o cenário é de madeira, desde as calhas por onde nos chegam as bolas, até 'a estrutura que varre os pinos.


Não podiam faltar, está claro, os sapatinhos da praxe. Graças 'as meias 'as riscas que eu escondia por baixo das botas, fiz uma bela figura de palhacinha.



E foi por aqui que passámos uma horita a tentar desesperadamente acertar nos pinos, que teimavam em não cair, devido 'as bolas que teimavam em ir tortas e até em saltar para as pistas alheias... essas malandras!


Estávamos nós em amena cavaqueira e tiro aos pinos quando... começa o Karaoke.
Há que dizer que a coisa se estreou logo com pérolas do "canto no chuveiro". Aquilo estava tão cómico que logo estrámos no espírito da coisa e em menos de nada já estávamos a escolher músicas e a entregar os papelinhos ao DJ.

A primeira a estrear-se na ribalta foi, nada mais nada menos, do que... pois está claro, eu própria:


Quando terminei, várias pessoas, mesmo desconhecidas, me disseram que cantei muito bem, mas eu acho que o pessoal estava era traumatizado da versão dos Nirvana, entre que tais, que tinhamos ouvido antes.

Depois, segui-se o R. com uma bela versão da música dos Pearl Jam:


Notem o pormenor da invasão de palco. Esse menino é, sem tirar nem pôr, o J. que, entusiasmadamente, respondeu logo ao email de A. a sugerir o Milky Way e a referir o Karaoke. Desde logo percebemos que afinal o Karaoke é que era o seu objectivo principal.
(reparar também que o maluquito de arroios com os braços no ar no início do filme já era o J.)

Quem diria, o J. aquele menininho de óculos, camisinha, todo penteadinho e ar de cientista, ficava naquele estado quando se lhe apresentava um microfone 'a frente?

Talvez este olhar nos estivesse a avisar para o que por ali vinha mas... mesmo assim, foi completamente inesperado!!


Nesse vídeo ele estava só a aquecer. Já estava em pulgas para saltar para o palco e então sabotou o R., mas o melhor estava para vir.
Vejam só a sua estreia a solo:


E não estivesse ele já contente com as suas 2 actuações, vai de, novamente, invadir o palco quando estas três meninas (desen)cantavam tãaaaao bem. Momentos houve em que um só microfone não lhe chegava e vai de agarrar nos dois.
Polivalente e omnipresente... é um artista!!
A ajuda do J. foi realmente preciosa, não acham?


Atrevo-me a dizer até que J. conseguiu um feito inimaginável: pôs a La Bamba a um canto!

Passo a explicar. Havia por lá uma certa personagem que, devido 'a sua extraordinária actuação enquanto cantou "La Bamba" ficou logo marcada nos nossos ouvidos, tal a dor que nos provocou. Não só dor nos ouvidos mas também na barriga, de tanto rirmos.

Ficou imediatamente apelidada de La Bamba!

E não é que a La Bamba também estava sempre a ver quando é que podia saltar para cima do palco! Topem só a pigmeu mascarada de esquimó!


Aqui a La Bamba usou a mesma técnica que J.: invade o palco, rouba o microfone e aqui vai disto! A imagem de marca dela, que lhe conferia um estilo inigualável, era a maozita na cintura e a pernoca a dar-a-dar. Lindo!
De notar que quem já lá estava também estava a fazer uma bela figura!



Foi uma noite mesmo muito divertida e bem passada. Quero agradecer a todos mas, especialmente e aqui em público, ao J.
Aquilo foi coisa nunca dantes vista.

PS - Menção honrosa para a La Bamba!

3 comments:

Anonymous said...

o desvaneio, a loucura, insanidade momentanea.....bom isso é que foi bombar!!
a "la Bamba" era mesmo uma personagem!!
fartei-me de rir!!Cantaste muito bem e claro esta n era de admirar!!
esta visto que tenho que ir a essas bandas "karaokear".
lov u
jokas meb e clara

Anonymous said...

Em vez de La Bamba é mais La Bunda, mas tirando isso é um instrumento de tortura digno de Guantanamo :) - Se não confessas.... eu canto de novo !!! - Não !! Não !! Confesso e assino por baixo, já, ai ai ai.....

Fatinito

Daniel said...

Costumo ler o teu Blog de vez em quando(um amigo meu que tambem ta a fazer o doutoramento tem o teu link no blog dele).

O Mundo realmente é pequenino...Pois o J. e a sua respectiva sao meus amigos ha uns anitos e nao estava nada á espera de encontrar o video dele a cantar por estas bandas (Ahahahahah).

Se por acaso tiveres mais videos comprometedores dele nao hesites em posta-los ahahahah

Um beijinho

Daniel Madrid