12.10.2005

Small things... the most precious!

Neste dia tive todas as razões e mais algumas para ficar mal humorada e o catalogar de um mau dia. No entanto, enquanto batalhava no meio da tempestade acima descrita, eis que aconteceu.

O telemóvel tocou.

"Humpf! Go figure! Este que também nunca toca agora, que estou no meio do polo norte, preocupada em sobreviver (que dramática!!), é que se lembrou de dar sinal de vida".

Tira luvas, rebusca o bolso 'a procura do telemóvel, destapa a cara, arranja um espaço entre o gorro, o capuz e a orelha para conseguir ouvir e dizer algo, vira contra o vento...

"Hello?!"

Do outro lado, uma voz tão querida e familiar:

"Escuta!"

Seguiram-se breves instantes do que parecia ser silêncio mas então tornou-se claro.

Era agora o bater do Mar que eu ouvia.

Fiquei estática e por momentos tudo parou e deixou de existir. Só havia aquele som. Quase que conseguia ver o mar azul bater contra a areia branca e a espuma espalhar-se e esfumar-se.

Sustive a respiração e fiquei avidamente a tentar ouvir mais e mais... ah, o Mar!

Emocionei-me, fui envolta em calor e fiquei feliz.
Passei o dia com um sorriso no rosto.

Tu... obrigada! :)

4 comments:

Fadalê said...

ò mar azul... eterno...sem fim...
lá lá lá lá´..... lá lá lá...lá lá... ( o resto da letra, esqueci )

eduarda baptista said...

quem foi alma caridosa e atenta???
tambem quero o nº do telemovel!!!
jokas grandes
meb
:)

∫nês said...

Adivinha? ;)

∫nês said...

Curtinho mas muito bem cantado Fadalê ;)