1.25.2010

MIGAGAAAAAA!!!!!!!!



Se ficaram curiosos para saber o que é "migagá" então leiam até ao fim! :)

Este fim de semana estreei o passe de ski desta temporada e fui esquiar. Fui com pessoas que desconhecia mas com quem fiquei em contacto por via de um amigo comum. O desconhecimento foi só evidente quando nos encontramos, pois não sabiamos quem esperar, mas logo isso passou e foi como se tivesse passado o dia com amigos que já conhecia há muito tempo.

Eramos 4, eu, uma Alemã e 2 Alemães e 'as 6 da manhã lá fomos nós para New Hampshire.
O dia estava excelente, nem frio nem quente, o ideal para não se congelar nos elevadores e também para não se transpirar imenso aquando das descidas. O sol brilhou, o céu esteve azul a maioria do tempo e a neve estava boa.
Estava felicíssima: já tinha saudades do branco, do esfregar dos skis na neve, daquela paz e daquele silêncio que se sente quando paramos numa das pistas e não se avista ninguém por uns momentos.
Foi óptimo e, até o que poderia ter dado para o torto, acabou por ser um dos pontos altos do dia.

A primeira coisa foi que, eu, moi meme, a je...esquiou numa pista preta pela primeira vez!!! Para quem não está familiarizado, aqui nos EUA as pistas sobem de dificuldade consoante a côr: a mais fácil é a verde, seguindo-se a azul, a preta e a preta com 2 diamantes (double black, como eles dizem). Até agora eu ficava-me pelas azuis, algumas azuis escuras, mas não me arriscava nas pretas. Ontem lá me convenceram e a coisa nem foi tão difícil quanto eu esperava.

Ao descrever a pista 'a L., em Alemão, J. exclamava qualquer coisa como "migagá! migagá!". O que é que é Migagá, perguntei eu. Riram-se. Não é migagá mas sim "mega gail", que quer dizer super cool e, de facto, a pista era excelente e com neve fantástica. Assim, a partir daí, enquanto descíamos a pista e passávamos uns pelos outros, gritávamos "migagá!!!!!". Ficou a palavra do dia :)

Penso que a pista não era uma super preta mas era sem dúvida mais inclinada do que as azuis e consegui descê-la sem grande dificuldade. Liguei toda entusiasmada ao David para lhe dar a boa nova, ao que ele respondeu também com entusiasmo mas ao mesmo tempo com preocupação: "ai, lá vou eu passar o dia ainda mais preocupado!!"

Mas tudo correu bem. Caí uma só vez, mas até foi em terreno fácil, numa pista azul... tudo por causa de uma cambada de putos que decidiu "estacionar" no cruzamento de 2 pistas. Ao tentar desviar-me. acabei por me espalhar e mandar um ski pelo ar, mas nada de grave.

A segunda coisa aconteceu no elevador. Eu e F. iamos na cadeira da frente e J. e L. iam na cadeira atrás da nossa. F. tirou uma foto a J. e L., depois tirou uma a mim e por fim pediu que eu lhe tirasse uma. Tirei a minha luva, pousei-a na cadeira, agarrei na máquina, tirei a fotografia (plim), devolvi a máquina e, quando ia a calçar novamente a luva quem disse que ela ainda estava onde a deixei? Sem reparar devo tê-la mandado borda fora e lá foi ela para toda aquela neve por baixo do elevador. Como se não fosse mau o suficiente esquiar sem luva (lá ia eu tentar esquiar de mão no bolso... havia de ser giro. Estiloso, no mínimo), aquela era uma luva importantérrima, pois foi o David que mas ofereceu no Natal passado. Porque eu me queixava de ter sempre muito frio nas mãos quando ia esquiar, ele foi 'a loja e pediu a luva mais cara, mais pró, mais XPTO, mais quente, mais cocó possível... e eis que me deu estas super luvas, que adoro.

Chegados ao topo da montanha, lamentei-me aos meus amigos, mas eles não me deixaram desanimar. F. deu-me logo uma das luvas suplentes dele para que eu não congelasse da mão e os 3, juntos, começaram logo a engendrar um plano para conseguirem resgatar a luva. O maior problema é que o terreno por aquelas bandas era perigoso, com montes de pistas pretas e double-black e só umas quantas azuis (escuras), que eram as quais eu fazia... estava feliz por ter feito a pista preta mas não me queria armar em campeã e acabar toda partidinha numa double-black :P

Eles disseram-me: Inês, não te preocupes. Desce a montanha e curte. Vai lá para a pista azul que nós tratamos disto. Vamos por esta pista preta e lá pelo meio vamos tentar entrar pelas 'arvores e encontrar a luva. Acedi, mas não sem antes pedir encarecidamente que não se estatelassem contra nada só por causa da luva.

O combinado foi que nos encontrassemos ao fundo da pista, junto ao elevador. Quando lá cheguei, encontrei-me com J. e L. mas... cadê o F.? Nenhum deles sabia, afinal, ele vinha logo atrás. Esperámos um pouco, perguntámos 'as pessoas que desciam se tinham visto alguém parado na pista e um Sr disse que sim, que tinha visto alguém pelo meio das 'arvores... só podia ser o F.
Esperámos mais um pouco e, precrustando pelo caminho em baixo do elevador que subia, eis que o conseguimos avistar. A caminhar, com botas de ski (que não dão jeito nenhum), lá vinha o F. pelo meio da neve, com uma luva na mão. Ficámos felizes, essencialmente por o ver são e salvo mas também pelo vislumbrar da luva mas... 'a medida que ele se aproximava, algo estava errado. A luva que ele trazia era preta e branca... mas a minha era branca e preta. Um pequeno detalhe mas que, quando ele chegou ao pé de nós e nos mostrou a luva, confirmou que os esforços tinham sido em vão. F. tinha trazido a luva que outro alguém tinha deixado cair.

Vamos de novo, disse J. imediatamente. Desta vez, vamos com atenção no elevador, para vermos mesmo onde é que a luva está. Lá subimos nós de novo, mas desta vez, em vez de apreciarmos a paisagam, fomos com os olhos colados no chão por baixo de nós. Está ali!! disse um de nós. Apreciando o terreno em volta J. disse: temos que ir pela double-black!! Pah, vocês não se partam todos, vejam lá. Se não der não dá!! disse eu, mas eles disseram: relax... migagá!!!!!
E lá foram eles!

Eu desci novamente sozinha, eles foram para a double-black e, quando cheguei ao fundo, fiquei 'a espera... e nada de ninguém aparecer. Passados uns minutos, vejo um pontinho a mexer por baixo do elevador. Era o J. que via a "snowboardar" por entre as 'arvores cortadas e os postes do elevador. "Ai que o gajo se me parte todo!!" pensava eu. Mas não!! Não só ele não se partiu, como encontrou a minha luva e apareceu com um sorriso rasgado de orelha a orelha, claramente com um rush de adrenalina enorme a percorrer-lhe o corpo de tão excitado que estava:
- Inês, teres perdido a luva foi a melhor coisa que podia ter acontecido!! A neve por baixo do elevador é puro pó!! Foi o melhor snowboard que fiz nos últimos anos!!!

E estava felicíssimo e eu também!! :)

Migagá!!!!!!!!!!

2 comments:

Violante said...

Mega geil!:)

Neto F#*$%o said...

Espero fazer os meu gritos de "migagá" daqui a um mês em Tigne. :)
Ao ler fiquei ruido de inveja... :P... ai..ai..