6.20.2011

Laser



Após anos e anos a fazer depilação com cera, chegou finalmente a vez de experimentar a mesma, mas a laser.

Devo desde já dizer que o laser foi contra muitos e bons hábitos que eu tinha, sendo difícil pactuar com a coisa logo no início, quando me disseram que, no dia da depilação, devia remover todos os pêlos... com gillette!

Com lâmina?!?!

Juro que fazê-lo foi a coisa mais anti-natural que já fiz nos últimos tempos (sim, até saltar do avião me pareceu mais normalzinho que isto), como se me obrigassem a escrever com a mão esquerda, ao fim de uma vida de destria.

Qual ralação com os pêlos ficarem mais fortes, crescerem mais rápido, parecerem uma escova assim que despontam... ah, mariquices! Toca a rapar tudo que o que se quer aqui não é a pele lizinha e sem pontinho negros. Aliás, para a depilação a laser, quanto maior o contraste de côr entre a pele e o pêlo cortado, melhor, uma vez que o laser actua na base dessa diferença. Assim que detecta um ponto preto... ZAP!!!!! Esturrica aquilo até 'a raíz.

E isso traz-me a uma outra surpresa com que este tipo de depilação me presenteou: o laser esturrica mesmo o pêlo, deixando um "agradável" odor a carne-de-porco queimada (neste caso porca). Pppf, que pivete! E, como se isso já não fosse mau, assim que acerta num pêlo, o laser queima até 'a raíz, o que significa que se sente uma coisa, que eu ainda não consegui definir se é queimar se é electrocutar, no interior da pele.

Ah, não dói!! A depilação a cera dói muito mais, nhanhanha, nhanhanha... tretas!!! Dói sim e dói que se farta. Nunca pinchei tanto nem soltei tantos guinchos numa depilação. Só mesmo a chamuça de la muerte é que conseguiu superar a marcação no "dolorirómetro". E olhem que eu até sou bastante resistente 'a dor (só a título de ilustração, quando parti o braço, no hospital julgavam que se tratava de uma caso de mãe preocupada em demasia pois, como dizia a enfermeira "oh, minha senhora, se o braço estivesse partido, a sua filha estava aí num berreiro que não se podia!"... e eu, quietinha, "sugadita", agarrada ao braço só a dizer "dói", em surdina)

Da última vez que fui ao laser (já a 2a), estava-me a doer tanto que a mulherzinha teve que tomar medidas drásticas. Vai daí, besuntou a área a depilar com gel de ecografias, pôs o ar que sopra ao mesmo tempo que o laser actua no máximo da força e do frio e pronto, só congelando a coisa é que eu deixeid e sentir as picadas do laser... mas aí, estava a morrer de dor, de tanto frio.

Presa por ter cão e presa por não ter.

O que vale é que, ao todo, a coisa nem deve durar 5 minutos, de tão rápido que é. O que não é nada rápido é os pêlos começarem a cair, como a esteticista indicou que ia acontecer. Passei a andar obcecada, a puxar os pêlos, assim que eles espretavam, a ver se caiam. E nada de cair.

Era só o que me faltava, rapar os pêlos, esturricar-me toda e agora os pêlos persistirem, pensava eu. Mas acho que era só mesmo ansiedade de querer ver o esforço recompensado. Já caiu tudo e parece-me que vamos no bom caminho.

Vá lá!

4 comments:

Ana Nascimento said...

tb ja fiz, e tb me doeu como tudo!!!! mas só a primeira vez é que foi muito mau, depois as sessões seguints já nao doeu tanto, ja tinha menos pelo :) mas digo-te, foi a melhor coisa que fiz! é um descanso! vale bem a pena!

Catarina said...

hum, mas estás a tirar os pelitos de baixo todos? isso pode fazer-se? não percebo nada de depilação a laser mas compactuo com a bela sensação e do wonce you go there you never go back, por falar nisso tenho que marcar para breve, ui ui ;p tb tive uma má experiência com uma miúda de leste que a dada altura me disse que não estava a conseguir fazer bem pq n tinha unhas, enfim, agora descobri uma rapariga óptima e acho que dela só passarei para o laser :p

∫nês said...

Espero bem que valha a pena, depois de tanto sacrifício.

Essa das unhas é mesmo desculpa esfarrapada. E' mais uma chamiça de la muerte... se bem que esse deve ser uma baklava de la muerte :)

∫nês said...

Espero bem que valha a pena, depois de tanto sacrifício.

Essa das unhas é mesmo desculpa esfarrapada. E' mais uma chamiça de la muerte... se bem que esse deve ser uma baklava de la muerte :)