2.13.2006

Existe e E'

Image Hosted by ImageShack.us

"Encontrou-a enquanto deambulava, perdido, pela madrugada das ruas da cidade, então cobertas pelo rigor do Inverno.
Neve. Branco. Frio. Silêncio.

Sem saber como nem porquê, virara naquela esquina e ali se encontrava ela. Abandonada. Triste. Só. Inesperada.

Instintivamente, caminhou na sua direcção. Algo o atraía. Não conseguiu evitar olhar para ela, tal como não conseguiu deixar de o fazer após o primeiro relance. Não conseguia parar de a olhar. Inexplicável.

Desconhecido foi também o que ela sentira ao perceber a presença daquele estranho… que lhe era ao mesmo tempo tão familiar. Como alguém por quem, sem saber, esperara todo aquele tempo. A vida toda, talvez.

Ele estendeu-lhe a mão. Ela, permaneceu imóvel e fitou-o. Os seus olhos, baços, encontraram então um mundo de honestidade nos olhos que a fixavam e esperavam por ela. Um mundo que desconhecia, mas que a atraía também. Hesitante, acabou por retribuir o gesto, entregando-lhe a mão.

Em silêncio, sentiram-se cúmplices.
Caminharam, em silêncio e cúmplices também.
O percurso não teve distância, espaço ou tempo.

Encontravam-se agora na casa dele.
Quente. Confortável. Aconchegante.

Sentiu-o pousar a mão no seu ombro, ao toque do qual, inconscientemente, reagiu.
Afastou-se. Ao mesmo tempo, nesse exaCto instante, os seus olhares encontraram-se novamente. No rosto dele, o mesmo mar de honestidade. Azul, qual vertigem. Não quis resistir, não desta vez. A última vez que o tinha feito perdia-se nas memórias do tempo mas, agora, parecia ser o momento certo para voltar a ser ela novamente.

Deixou-se levar por aquelas ondas, abandonando-se.

Sentia-o agora remover-lhe as roupas molhadas. Fazia-o devagar, terna e cuidadosamente, com a atenção de quem não quer perder nenhum pormenor de um momento seguramente único.

Aos poucos, a luz ténue da manhã que se filtrava pela janela, revelava a sua pele arrepiada e suja, que via reflectida na água ‘a sua frente. Nua, entrou na banheira. Inseriu um pé, o outro, depois o corpo e, envolvendo os joelhos, sentou-se e ficou a olhá-lo, sem receios.

Já não tinha frio. Sentia calor. Da água que a rodeava e do olhar que a envolvia.

Segurando uma esponja, a mão que a recebera antes percorria-lhe agora as costas.
Ele lavava-a.
Lavava-lhe o corpo.
Lavava-lhe a alma.

Lentamente, ela revelava-se a ele.
Dos olhos, agora mais brilhantes, escorriam-lhe lágrimas pelo rosto, agora mais limpo. Lágrimas. Não de tristeza, mas porque as emoções transbordavam.
Libertava-se da bílis da alma.

Ele descobria agora uma pela alva. Desapareciam as marcas dos tempos passados.
Revelavam-se ‘a sua frente a linha do pescoço dela, a pequena marca no rosto, os seios, a sua essência. Via-a!
Via-a e, cúmplice, partilhava também com ela o sal das lágrimas.

Sem palavras, já não havia silêncio. Havia música. Ambos saboreavam aquela pausa de mil compassos que os unia, escutavam a música deles, aquela cumplicidade.
Unica. Confortável. Simples. Intensa.
Que somente Existe e E’.

E ela, ‘a frente dele, mais nua do que apenas despida.
Nua, sem medos, sem defesas… e sentindo-se tão segura, tão protegida.

E ele, lavava-a, mimava-a e via-a.

Lá fora, a Primavera.
Sol. Cores. Calor.

Banhados pela luz de uma luminosa manhã, ele beijou-lhe a nuca.
“Estarei sempre contigo!” – disseram-lhe os seus olhos.
Ela, beijando-lhe a palma da mão para a fechar de seguida, devolveu-lha num sorriso calado:

“Guarda. E’ teu. Serei sempre tua!” "

7 comments:

eduarda baptista said...

um banho assim tambem quero!!!
ate ja comprei uma esponja!!
ena ena, sera que vejo conforto, amizade e companheirismo ao longe? sera que desta vez o sentimento vem completo, e nada fica para traz?
espero que sim!
jokas grandes
amo-te muito e lavadinha e a cheirar ao perfume que so em ti assim cheira....
adoro-te!!
meb :)

APETECIDO said...

Duda, tu estás certa. Conforto de anjo, amizade eterna e companheirismo como nunca dantes. Por estar apetecido é que posso te afirmar tudo isso. Que uma irmã, é claro, perceberia.

Anonymous said...

Hum...que bonito....


Ivone

Anonymous said...

Hum...que bonito....


Ivone

madalê said...

Bela amizade.

∫nês said...

Madalê, perspicaz e sensível... como sempre :)

∫nês said...

Ivonita,

Gostaste mesmo... até foi a dobrar :)