2.04.2006

Um pouco do Meu Brasil

Image Hosted by ImageShack.us
EXCLUSIVAMENTE BRASIL
Lado A
1. Samba Para Endrigo
(Toquinho - Vinicius de Moraes)
2. Cafè Da Manhã
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
3. Trocando Em Miudos
(Chico Buarque de Hollanda - Francis Hime)
4. A Noite Do Meu Bem
(Dolores Duran)
5. Onde Anda Vocè
(Vinicius de Moraes - Hermano Silva)
6. Carinhoso
(Pixinguinha - João de Barro)

Lado B
1. A Rosa
(Chico Buarque de Hollanda)
2. Samba Em Preludio
(Powell - Vinicius de Moraes)
3. Ana Luisa
(Jobim)
4. Morena Do Mar
(Dorival Caymmi)
5. João E Maria
(Chico Buarque de Hollanda)
6. Morena Flor
(Toquinho - Vinicius de Moraes)

Sou apaixonada pelo Brasil.
Nunca soube explicar este sentimento. Pura e simplesmente existe. Contudo, quando me perguntam porquê e tento de alguma forma explicar “logicamente”, os meus esforços revelam-se infrutíferos. Tentando recuar no tempo, as memórias mais longínquas dos primeiros contactos com esta cultura apresentam-se-me, ironicamente, sob a forma de um vynil em que cantava um Italiano... o que, obviamente, não abona a favor de uma razão para esta paixão (mas paixões não são para ser lógicas e não! :) )

Lembro-me de o meu pai escolher amiúde o disco de Sérgio Endrigo, de 1979, de título “Exclusivamente Brasil”. Ficava completamente fascinada com as melodias.

Ainda miúda, não percebia a profundidade da maioria dos poemas, mas sabia de cor a ordem das músicas e sentia-as com intensidade. E foi assim que, sem saber, escutava e me apaixonava irremediavelmente pelos grandes génios da música Brasileira: Vinicius, Jobim, Buarque, Toquinho, Pixinguinha...

Escutando o pousar da agulha no disco preto no lado B, cantarolava de imediato, ainda no silêncio inicial, os primeiros acordes de “A Rosa” e, assim que terminava, antecipava com expectativa e ânsia a música número 2: “Samba em Prelúdio”, a minha preferida.

Enchia-me o coração, a Alma.
Recordo-me de uma vez, talvez com 5 anos, olhar para cima e estender os braços para o meu pai, lá em cima. “Dança comigo!”
E’ daquelas músicas que nos faz querer ser abraçada, sentir o toque e o calor humano.

Ergeu-me no ar, segurou-me ao colo e, tal como o via fazer tantas vezes com a minha Mãe, deu-me a mão, para de seguida a encostar ao peito. Encostei também a cabeça ao ombro dele e naquele balouçar quase hipnótico, ficamos os dois de olhos fechados a escutar:

“Eu sem você não tenho porque,
porque sem você não sei nem chorar
Sou chama sem luz
jardim sem luar,
luar sem amor,
amor sem se dar

Eu sem você sou só desamor
um barco sem mar
um campo sem flor

Tristeza que vai
tristeza que vem
sem você meu amor
eu não sou ninguém

Ah! Que saudade
que vontade de ver renascer nossas vidas

Volta querida
os meus braços precisam dos teus,
teus abraços precisam dos meus

estou tão sozinho
tenho os olhos cansados de olhar para o além
vem ver a vida
sem você meu amor eu não sou ninguém”

(Vinicius De Moraes com María Creuza e Toquinho - Gravado em Buenos Aires)

Mesmo que interiormente, ouço-a sempre na voz do Sérgio com a Fafá de Belém e parece-me, invariavelmente, a combinação perfeita. Ainda hoje é daquelas músicas que me provoca emoções especiais. Banda sonora da primeira vez que senti o coração dilacerado pela desilusão do primeiro Amor, é também a banda sonora de inspirações e esperanças.

Tantas emoções e recordações contidas em letras e melodias do "português com açúcar" parecem-me afinal, a resposta para a complicada pergunta.
Como poderia ser possível não ser apaixonada pelo Brasil? :)

3 comments:

Jerusa said...

Também adoro o Brasil, e estou morrendo de saudades, já tem mais de 4 meses que nao sinto o cheiro,a luminosidade, o verde e os sons... Bem, e quando se está longe até se fica mais tolerante com os problemas. E vc já desde pequena ouvia o que há de melhor da música brasileira, apesar de ser na voz de um italiano :-). E hoje pelo visto o forró tbem tomou conta de ti.

∫nês said...

Je, já que estamos as duas saudosas, que tal pensarmos em, algures durante este ano, nos encontrarmos por lá? Mas, desta vez, sem chuva, ok? :)
Beijo grande e abraço saudoso apertado para os dois!

eduarda baptista said...

que imagem maravilhosa do nossa infancia...lembranças....
realmente os nossos pais sempre nos deram a conhecer o que de melhor existe na música!!!
quando em viagens longas de carro ouviamos estas musicas, rui veloso e todos contentes -numa viagem infinita e aborrecida-la cantarolavamos, e batiamos palmas a marcar ritmos que por vezes nem existiam!!!!
que saudade!!
jokas meb
:)