9.27.2005

Somethings Only Happen in NY

Como todo o entusiasmo que foi estar em NY novamente (mesmo que só por uns dias), o verdadeiro motivo por que lá fui ficou algo dissimulado:

- "O" concerto a Solo do Keith Jarrett foi a razão porque, desde Junho, já sabia que no dia 26 de Setembro estaria em NY, pois comprei logo o bilhete após o anúncio surpresa no concerto do trio do K.Jarrett, no festival de Jazz de Nova Iorque.

Embora já tenha exposto subejamente a minha admiração por este músico neste e neste post, não posso deixar de dizer, mais uma vez, que é INDESCRITIVEL ouvi-lo e vê-lo. Foi o melhor concerto do género que alguma vez presenciei e, arrisco a dizer, que alguma vez verei.
O Carnegie Hall rebentava pelas costuras e, nos minutos antes do início do concerto, os bilhetes da "candonga" iam já para cima dos $100, mesmo que com vista parcial do palco. Nunca antes o barulho feito por aplausos, assobios, pés a bater no chão e berros tinha sido tão ensurecedor e forte, mesmo comparando, proporcionalmente, com concertos em estádios.
O público estava ao rubro. Sentia-se a emoção no ar.
Keith fez-me rir, suspirar e chorar novamente. E' lindo ver-se e ouvir-se tanta expressão e beleza sairem do simples diálogo entre um homem e um piano, num palco vazio.

São oportunidades que, sem qualquer sombra de dúvida, têm muito mais chance de ocorreram em NY, centro do mundo. Nesta cidade tudo é possível. As coisas mais inesperadas acontecem mas, por serem em NY, acabam por adquirir um cariz que faz parte da "rotina da cidade". Em NY acabam por ser normais e naturais.
Se não, veja-se. Enquanto esperávamos na porta do Carnegie para entrar, o Miguel reparou na presença de alguém que logo fez notar 'a Rita e a mim. Imediatamente surpreendidas, não perdi tempo a dirigir-me a ele e perguntar se podíamos tirar uma foto:
- Claro - respondeu com um sorriso, enquanto ajeitava a mochila - são Portugueses?
Recebeu-nos com muita simpatia e normalidade. Em menos de nada, passámos cerca de meia hora na conversa, soubémos que tinha ouvido acerca do concerto no próprio dia enquanto passeava pela área e que, por sorte, conseguiu um bilhete por $100. Ainda nos rimos 'a conta disso pois, na sua busca por bilhetes, ficou a saber que se vendiam bilhetes só para escutar:
- Deve ser coisa de Americano - dizia ele com um sorriso divertido (e que sorriso :P), enquanto fechava os olhos e os imitava.
Está em NY só por uns meses, para aprender Inglês (querido, eu ensino-te Inglês e até pode ser em Braille. Já agora, podes-me apresentar ao teu amigo Santoro? :P) e pronto, quis o destino que alguns dos seus minutos fossem passados connosco.
Meninas, roam-se de "imbeija" :D

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

13 comments:

di said...

ai!!! isto agora foi demais miuda!!!
assim nao pode ser!!!!
tas em NOVA YORK, e ainda encontras ESTE homem??????
nao ha inveja q resista!!!!!
LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

Marco em Bergen op Zoom said...

Se queres conhecer assim tanto o Santoro vem até cá, um amigo nosso (agora professor aqui na UFSC) é amigo dele...

∫nês said...

Di: Ah pois é! Quem pode, pode :)

Marco: Tu não me digas isso 2 vezes, rapaz!
Sabes que para ir ao Brasil estou sempre pronta. Se, para além da vossa companhia, ainda tenho a chance de estar com o "pão" do Santoro... acho que não me aguento.
Já o conheceste? Je, que "imbeija"!!!!!
Ficas aí até quando mesmo?
Eu estou a pensar ir ao Brasil no início do próximo ano, hehehe ;)

Anonymous said...

Ele é muito LINDO... estou morrendo de inveja... Mas, pensava que ele fosse mais alto... Ao que parece ele é só um pouquinho mais alto que vc. Quanto ao Santoro, nao conheci, pois na altura que ele esteve aqui em Floripa, o Guigas,meu amigo, só falou depois que ele já tinha voltado para o Rio. Bjinhos Jerusa

∫nês said...

E chamas a esse Guigas de amigo?
Amigo que é amigo tinha convocado as amigas todas para apreciar o Deus Grego!

Sim, o Fábio (eu e ele agora somos tu-cá-tu-lá, hehehe) não é altíssimo. E' o suficiente. E, confirmo, muito giro e simpático... pena fumar.

meb said...

sua caramela!!!!!Não há sorte no destino coisa nenhuma...eu costumo ter sorte e nunca encontrei nenhum actor lindo!!Mas em contrapartida encontrei o meu maridinho (se ele lê isto!!??) !! Jokas grandes e seja o Fábio ou o Santoro, são bem vindos como cunhados..lolololololol
diverte-te

Tripeiro de Roterdao said...

GRRRR! Q inveja!!! Nao pelo brasileiro, mas pela oportunidade de ver o KJ ao vivo e a cores!!!
Tb quero!!!

∫nês said...

meb: Eu prefiro o Santoro, importas-te? ;)

tripeiro: toma, toma, toma!! :P

Ze said...

Ora bem, vamos lá começar o discurso.. "Querida Inês, fico muito contente por ti, por teres tido a oportunidade de estar próxima de um tão "bom" exemplar da raça humana." Isto é o que a boa educação me obriga a dizer. A minha mãe ensinou-me assim.
Agora a sério...QUE SORTE!!! Eu fiz a minha parte e roí-me de inveja. As marcas ainda são visíveis ;))

Ficamos na expectativa de ver quem encontrarás a seguir. Não precisa de ser famoso, ... basta ser giro q.b.

Fica bem
Bjs da tua prima Zé

Anonymous said...

Mas afinal, quem é esse brasileiro (por sinal, feio!!) que aparece na foto?
E tem um olhos tão....azuis , tão banal !!!
Por favor, Prima, esperava que tivesses um gosto melhor....ah...
Por acaso não o convidaste para ir à Régua conhecer as priminhas???

Beijinhos Ivy

∫nês said...

Pois é, tens razão, mas que queres?
Não consegui melhor!
Falei-lhe das primas mas ele disse logo que elas mereciam melhor, hehehe.

Anonymous said...

;-D
Boa resposta!!!
Melhor,melhor seria o Santoro!
E nisso eu sei que concordas.
Bj

Ivy

∫nês said...

Já ando a tratar de o conhecer. Tenho um amigo de um amigo que o conhcece... pode ser que um dia a coisa dê. Juro que lhe falarei das minhas primas ;)